sábado, 1 de novembro de 2008

Entrevista com Adriana Dubeux

Agora chegou a vez da grande campeã das Olimpíadas 2008!

Ficha do corredor

Nome completo: Adriana Dubeux Pacífico Pereira

Nome de guerra: Adriana

Natural de: Pernambuco, Recife

Data de nascimento: 30/05/1970

Local de treino habitual: Parque da Jaqueira

Freqüência semanal: 3 vezes por semana

Quilometragem semanal: 15 a 18 km

Currículo: Na verdade, sou totalmente amadora e iniciante na disputa em corridas. A corrida é um prazer, pois me sinto ótima quando pratico atividade física.


Entrevista

Quando você começou a correr e como isto aconteceu? Ficar totalmente sedentária, quase nunca fiquei. Já fiz academia, natação, pilates e de vez em quando gostava de caminhar e correr um pouquinho na Jaqueira. Como tive uns probleminhas no joelho há uns 5 anos, evitava sempre a corrida, preferindo a caminhada. Mas, a partir de julho deste ano, resolvi testar começando com um trote leve. A partir daí, fui aumentando a dose aos poucos e com a motivação das Olimpíadas do TCE, resolvi arriscar os 6 km.

Qual sua motivação para correr? A corrida condiciona o corpo muito rápido. Eu queria ter uma atividade física regular, que fosse aeróbica e que não me limitasse em relação a horários. Assim, naturalmente, fui correndo.

Fale um pouco sobre o equipamento que você utiliza para correr. Existem outros que não os pés?? (rá, rá, rá)

Prefere provas de quantos km? De 5 a 6 km para mim é o limite, como já disse estou começando agora.

Qual é sua estratégia para as provas? Alongo antes e começo num ritmo de médio para acelerado e vou assim até o meio da prova. Depois, relaxo um pouco o pique e no final dou uma última acelerada. Acho que o segredo é manter uma respiração o mais estável possível, senão o fôlego falta no final.

Qual sua meta atual? Chegar aos 10 km até o final do ano.

Deixe uma mensagem para quem quer começar a correr. Mesmo para quem, como eu em julho deste ano, corre apenas 1 km “morrendo” , vale a pena insistir. No começo é difícil, pois as pernas vão e o ar não chega. Depois, o ar chega e as pernas cansam, mas aos poucos correr vai se tornando tão natural que você não agüenta dar uma volta somente andando, fica sem graça. Uma boa pedida é levar um mp3 com umas músicas bem animadas. Enfim, começar é fácil, manter é mais difícil, mas o corpo vai pedir que você continue, é só obedecer...

Última(s) entrevista(s):
Paulo Paulada

3 comentários:

ana tereza disse...

Valeu Adriana, parabéns pelo feito.
É assim emso.
Começamos para manter a saúde, fazer um exercício no melhor horário que concilie com a família e por fim, vira uma paixão que não conseguimos deixar de fazer...ou melhor de correr rsrsrsr.
Parabéns, bjs
Ana

Márcio Santana disse...

Não faltarão oportunidades para alcançar esta meta de 10 km daqui para o final do ano, sejam treinos ou provas. Torcemos por você!

Flávio Nascimento disse...

É isso aí Nandinha...de vagar se vai ao longe!!

Flávio Nascimento